segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Deixa Ser

Deixa ser que a vida se acerta em algum momento.

Deixa ser que em alguma hora a chuva passa, o frio vai embora e o lamaçal que nos afunda também seca.

Deixa ser que o sol chega, a grama fica verde e o céu volta a ser azul.

Deixa ser, não tente adivinhar as coisas, no momento certo as perguntas encontrarão suas próprias respostas.

Deixa ser, se sinta leve, respira, admira que a poesia te encontra e transcende.

Deixa ser que a tristeza some e o que vem serão apenas lágrimas de alegria.

Deixa ser que a alegria contagia, o amor vence tudo e o brilho nos olhos quase irá nos cegar, mas faz voltar a ver...

Deixa ser que a vida nos mostra os pedaços que faltam, as formas perdidas que se encaixam.

Deixa ser que a autoestima contamina e a  escuridão dá lugar ao nosso amor próprio.

Deixa ser, acredita, tenha fé, inventa uma história pra você que ela acontece.

Deixa ser, perdoe, não guarde mágoas. Joga todo peso do que não foi fora.

Deixa ser, não olha pra trás. Esquece o passado naquele tempo verbal que nunca mais volta.

Deixa ser, aproveita a chance que tem todo dia de começar de novo e recomeça!!!

Deixa ser a faça tudo de novo ou diferente, você decide. Apenas deixa ser e faça.

Deixa ser e acredita no futuro.

Deixa ser e se divirta, se permita, aproveita a vida.

Deixa ser aproveita os clichês:
As cores, os sabores, o final da tarde, a vida idealizada.

Deixa ser e deixa tudo escorrer.

Deixa ser e deixa tudo fluir

Deixa ser e deixa tudo se transformar.

Deixa ser e se torne quem sempre desejou ser. A pessoa que você sonhava em conhecer.

Deixa ser que a paz entra, que você fará as pazes com a vida, nem que  seja por alguns segundo, até brigar com ela de novo.

Deixa ser e sonha.

Deixa ser que o seu astral vai dominar o mundo.

Deixa ser que o amor vence, o amor vence, o amor vence. Sempre!!!!

Deixa ser que eu acredito em você, o mundo acredita em você, acredite em você e deixa ser.

Deixa ser sem preconceito
Sem regras

Deixa ser que tudo pode.

Deixa ser que na vida não tem certo
Não tem errado
Não tem sentido
Cada um inventa o seu

E se até agora ele não apareceu

Não se desespera
Apenas para
Pensa
Respira
Sorria

E deixa ser...

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Já Não Me Sinto Mais Em Casa Nesse Mundo

Por mais que o tempo passe
Acho que uma pergunta nunca sai da cabeça:

"Onde foi que o Brasil deu errado?"

A grande verdade é que o Brasil tinha tudo pra ser um lugar do caralho.

Povo carismático
Criativo
Receptivo
E batalhador.

Dono de uma alegria contagiante, uma energia única.
Com lugares lindos, paisagens incríveis.

E ainda assim, como todos já sabem...
Estamos no jeito que estamos.

Sei que parece meio óbvio no meio de tanta coisa falar disso
Mas a única coisa que consegue justificar o Brasil estar nessa situação
Somos nós brasileiros.

Longe de mim fazer o discurso de cachorro vira-lata.

Somos bons sim em inúmeras coisas.
Mas é inegável que a corrupção aqui é algo cultural.

Está no nosso DNA.
Vem de geração em geração.

Chegou aqui de navio por volta de 1500 e continuou saindo até hoje em um helicóptero cheio de cocaína.

Ela está enraizada.
Como um cheiro que fica preso na parede.

Foi passado por pais, avós, bisavós, até a nossa geração sabe-se lá de onde.

Fez parte do nosso dia a dia.

Fomos criados vendo pessoas pagando cafezinho pra sair de blitz.
Dirigindo sem carteira de motorista.
Passando por baixo de roletas em ônibus.
Molhando a mão do garçom para ter privilégios.
Parando em fila dupla.
Em vagas de idosos.

E assim, olhando mais de perto, percebe-se que aqui a corrupção está em tudo:

Na loja que vende sem nota.
No imposto que não se paga.
Na revenda de ingressos.

Na mercadoria mais barata ou roubada que compramos.


Tem deslealdade em qualquer âmbito.

Precisamos de anos e mais anos de conscientização de novas gerações para limparmos tudo isso que existe entranhado em nós.


Outro problema por aqui é que somos demasiadamente ansiosos.

Falamos da beleza natural do Rio
Do lugar onde as pessoas passam férias.
Mas estamos sempre correndo, atrasados, com pressa.

Não aguentamos esperar nada.
Basta ver uma fila grande que ficamos irritados.
Procuramos um jeito de burlar.

No trânsito estamos sempre correndo.

Chamando o outro da frente de lerdo.

Se o sinal abre por 2 segundos já buzinamos para o carro da frente.

Não conseguimos respeitar pistas especiais, assentos seletivos, vagas especiais.

Aqui não queremos perder nada.
Não podemos ceder em momento algum.

Fomos regidos desde sempre pela lei de Gerson. 

Precisamos ter vantagem em tudo.

E culpamos os políticos por toda desgraça que acontece.

Esquecendo-se de quem os colocou lá
E que eles são apenas reflexos de nós
Nada mais que isso...

E assim...
Chega-se a conclusão que o grande problema do Brasil é a impunidade.

O nosso sistema está todo podre.
Precisamos urgente de reformas.
Leis mais severas, mais duras, mais claras.

Por anos se roubou (e muito) sem que nada acontecesse.

Menores roubam e sabem que não ficarão presos.
Adultos roubam e sabem que não ficarão presos.

Bandidos usam redes sociais
Como se estivesse tudo bem.

Todas as nossas polícias tem participação no poder do crime organizado:


Desde a que fornece armas

A que abre as pernas na fronteira
Ou a que deixa o bandido livre pra ir...

A delação premiada é uma piada.
Aquele que rouba, porém denuncia primeira, acaba livre de tudo que cometeu.

No Brasil o crime compensa e muito!”
Diz Joesley da sua casa em Nova York.

E assim, vivemos com o Rio nessa situação que vemos agora:

Quase todos os dias se vê algum conhecido informando que foi furtado.
Alguma matéria diz que mais um policial foi morto.
Mais um shopping foi assaltado.
Mais uma via ficou fechada por tiroteios.
Mais uma pessoa foi esfaqueada por alguma vítima da sociedade.

E o pior:
Estamos achando tudo normal.

Temos preocupação e solidariedade com atentados em outros países, por tragédias naturais.
Mas não percebemos o caos que vivemos a cada dia.

Estamos em guerra

E somos obrigados a sair todo dia de casa
Desarmados em sem coletes.

Somos ameaçados todo dia pelo desemprego que sufoca.


Por empresas que praticamente todos os dias batem em nossas costas e dizem:


"Me agradeça por estar empregado".

E quem tem força para tentar mudar isso, não faz, não muda.

Vemos uma classe artística fraca, mais preocupada com parecer do que realmente ser.

Uma classe artística que não fala.
Que tem voz, mas não diz.
Que vive de imagem.
Que só se impõe se o assunto é polêmico para render likes.

Vivemos uma extrema pobreza de formadores de opinião da massa:

Um dos maiores ídolos do esporte está mais preocupado com o seu Instagram do que em realmente ser um exemplo para as novas gerações.

A sensação do momento da música faz muito mais sucesso pela bandeira que carrega, do que pela música que faz.

A nossa principal modelo no momento só se posiciona se o assunto for a Amazônia.

O maior influenciador entre os jovens é praticamente um novo Tiririca.

É  BBB que já sai do programa com fã clube...

Dezenas de Digital Influencers que não passam de corpos bonitos, dicas de dietas e exercícios físicos.

O maior legado que essa geração deixará são as receitas de Frango com batata doce

Seguimos as pessoas pelo o que elas parecem

Não pelo o que dizem.

E enquanto  isso aqueles que realmente tem os holofotes voltados para si, preferem se isentar do que realmente interessa.

Envolvem-se em polêmicas pífias.
Se vitimizam.
Compram brigas que não deveriam ser relevantes.

Criam inimigos ideológicos.
Fazem ameaças
Retaliações contra os que pensam diferentes.
Mas não tem a coragem de dizer nada de relevante para mudar o país.

Como diria Umberto Eco:
“As redes sociais deram vozes aos imbecis”.

Perdemos artistas com firmamento politico.
Perdemos bandas e músicas contestadoras.

Perdemos a alegria.
O humor
O direito de fazer piadas.

O politicamente correto ficou um saco.
Nos deixou pisando em ovos.

Perdemos a tranquilidade
Perdemos a liberdade de ir e vir.
Perdemos o orgulho.
Perdemos a esperança.

Perdemos tudo 

Nos perdemos...

E estamos cada vez mais nos despedindo uns dos outros

Indo embora.


Pra Bem longe...


Com essa sensação eminente de que o último a sair realmente tem que apagar a luz

Ainda que a gente esteja vivendo na escuridão 
Com algum transformador que explodiu

Após mais um tiroteio..

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Muito Menos

Sempre tive muito pra brigar
Mas fui brigando menos.
Sempre tive muito pra chorar
Mas fui chorando menos.
Sempre tive muito pra culpar
Mas fui culpando menos.
Sempre tive muito pra gritar
Mas fui gritando menos.
Sempre tive muito pra me chatear
Mas fui  me chateando menos.
Sempre tive muito pra lamentar
Mas fui lamentando menos.

Desde que percebi que tinha muito.
Ao invés de reclamar que tinha menos...

terça-feira, 7 de março de 2017

Dilacerador

E quando me pego pensando em você a cada momento.
Fazendo planos que te incluem.
Ouvindo músicas que me lembram você.
Reavaliando histórias com final feliz.
Analisando estatísticas que provam que pode dar certo.
Com medo da rejeição.
E com uma insegurança cavalar de não te ver de novo.
É que eu tenho a certeza que:
Lá vem o amor

Acabar comigo de novo...

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

London Girl

E mesmo sem nada em comum
Achamos assunto.

E mesmo com tanta diferença.
Achamos química.

Mesmo com os horários loucos.
Achamos tempo.

Mesmo com as prioridades discordantes
Achamos meio termo.

Mesmo com toda descrença
Achamos amizade.

Mesmo todo o fim.
Achamos carinho

E aí:

Mesmo com tanta gente doida por aí
No fundo
No fundo
Pelo menos por algum tempo

Nos achamos...

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Férias

E eu estou precisando de férias, sabe?
Da correria
Da urgência
Dessa obrigação quase nostálgica
De tudo ser pra ontem.
Do despertador que toca todo dia no mesmo horário.
Do mesmo caminho pra voltar pra casa.
Da sexta que se preocupa com a segunda.
De mal acabar o hoje já pensando no amanhã.


Eu estou precisando de férias, sabe?
De maneira bem clichê mesmo:
Pra olhar as cores que não reparo
As flores que não sei o nome.
Reparar no azul do mar que já conheço
No calor do sol que sinto todo dia.
E enfim agradecer a vida em minha volta
Com uma mochila nas costas 
E um sorriso no coração.

E eu estou precisando de férias, sabe?
Pra ver as coisas com calma
Viver cada segundo em seu determinado tempo.
Ser passageira dessa necessidade constante que é ser do mundo.
De não ter que pensar em nada
Ou tomar decisões.
De só precisar me preocupar com qual acompanhamento  pedir no almoço
Ou se saio de casa de rasteira ou de chinelo.

E estou precisando de férias, sabe?
Mas sem tristeza ou vontade de sumir.
Pelo contrário
Eu quero mesmo é aparecer para o mundo.
Pra me livrar do cansaço.
Do mais do mesmo.
Da repetição de cada dia
Da rotina que tenta se passar por acaso
Com imensidão de espaço que seu vazio ocupa.

E estou precisando de férias, sabe?
De lugares
Pessoas
Pensamentos
Planos
Músicas
Filmes
Fotos
Das Coisas empoeiradas na gavetas
E de toda parte de mim mesma
Que há tempos não sou mais.

Porque nada é definitivo
Tudo é só passagem
E eu vou sair por aí...

E eu estou precisando de férias.

Pra onde vou não me interessa
O destino é consequência
Só desculpa
Eu apenas preciso ir...

A ideia de reencontrar um novo eu
Já me fascina.




quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Faça de Próposito

O Mundo é de quem arrisca
A sorte é de quem insiste
O sucesso é de quem se joga
A felicidade é de quem vai mesmo com medo...

Se for pra fazer que seja feito direito.

Evite acidentes.
Faça de propósito!!