sábado, 14 de abril de 2018

Até No Próprio Nome

Eu gosto de gente que Brilha.
Que encanta do nada
Com a boca vermelha
A pele morena
E o brilho nos olhos.

Eu gosto de gente que luta.
Que sonha
Que tenta
Que deseja e corre atrás.
Gente que não nasceu pra ser coadjuvante
E busca com todas as forças
O protagonismo da própria existência.

Eu gosto de gente que não importa pra onde vai
Sabe que o importante é ir.
Que ainda distraída
Consegue ser ela mesma
E sem se preocupar.
Não repara em quem repara.

Eu gosto de gente autêntica
Que ousa
Que foge da mesmice
Que tem um jeito único
Uma marca própria
Até no próprio nome.

Eu gosto de gente que gosta da vida
Que aproveita a natureza.
O dia
E os encantos do lugar onde está.
Que ama o sol
Aprecia o mar
E entende que na grandiosidade do mundo
Sempre são os pequenos momentos que importam.

Eu gosto de gente que gosta de gente
Que sorri
Que abraça
Que brinca
E aproveita a benção que é ter uma família
A fortaleza que trás toda amizade.

Porque eu gosto mesmo de gente assim
Igual a você.
Que do nada encanta
Que do nada aparece
Que de repente tira um sorriso
E chega assim de surpresa
Para me fazer reavaliar
Tudo que eu já conhecia...


terça-feira, 27 de março de 2018

Última Coisa

E como...
Nunca mais nos falamos.
Não tenho notícias de você.
As nossas fotos não olhei novamente.
Nenhum objeto que já foi seu existe a minha volta.
Jamais nos encontramos por acaso.
Passar pela sua casa não faz parte da minha rotina.
E não nos esbarramos nem mais nas redes sociais.

Fica bem claro pra mim que:
A Mágoa é a ultima coisa que ainda tenho pra lembrar de você.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Escolha Amar

“O amor é para os fortes”
Sempre me lembrava dessa frase 

Toda vez que me via envolvido sentimentalmente com alguém.

Afinal...

Sempre tive essa visão do amor:
Algo forte
Intenso
Quase doloroso.

Aquela paixão avassaladora.

Um alguém perfeito
Praticamente a alma gêmea
Que vai completar seu mundo
E ser a razão do seu existir.

Que é à primeira vista como nos sonhos
Perfeito como nossos avós.

Que trará um caos interno
Frio na Barriga
Borboletas no estomâgo.

Que será a primeira coisa ao acordar
A última ao dormir.

Te dará distração.
Euforia.
Cegueira total de tudo a sua volta.
E tantos outros sentimentos de uma intensidade tão forte
Que no fim das contas
Vai ser preciso muita força emocional mesmo para aguentar isso tudo.

Afinal
Se não causasse uma reviravolta nas estruturas da minha vida
Pra mim poderia ser tudo
Menos amor.

Mas o tempo
Juntamente com as expectativas
E realidades encontradas
Acabaram me provando muita coisa.

Principalmente que aquela frase do começo do texto sempre esteve certa:

Porque o amor é realmente para os fortes.

Mas ao contrário de antes
Eu percebo que o amor precisa de outros tipos de força.

O amor não precisa de força para aguentar dor.
Precisa de uma força para enxergar a verdadeira realidade dos fatos.

O amor não de força para buscar o inalcansável.
Precisa de força separar idealização da realidade.

O amor não precisa de forças para buscar a pessoa ideal.
Precisa de força para entender que a pessoa perfeita não existe.

O amor não precisa de força para transformar tudo em sintonia.
Precisa de força para aceitar os defeitos

Porque o amor são para os fortes que não cedem aos impulsos
Que conseguem ser racionais.
Que não desistem no primeiro problema
Que não esperam almas gêmeas
Conto de fadas
Frio na barriga
Fogos de artificio.

E entendem que o amor mais do que sentimento
Tem a ver com escolha.

Escolhe-se acreditar naquilo.
Escolhe-se embarcar nessa viagem.
Escolhe-se construir tudo juntos.
Escolhe-se estar com alguém.
Apenas escolhe-se...

Afinal o amor é castelo que se constrói do nada.
O amor não vem pronto...

O que vem pronto é a paixão
A atração
O tesão
Entre tantos outros sentimentos de tão fortes
E tão intensos 
Que são vulneráveis acabam no primeiro choque com a realidade
No primeira porta que se abre
No primeiro outro alguém que aparece.

A força do amor está na razão.
No acreditar
No se importar
Enxergar um futuro juntos.

A força do amor é aceitar as diferenças
As imperfeições
Os percalços.

É olhar no olho da pessoa e admirar.
É querer o bem.
Querer cuidar.
Ser companheiro.
Viver os dias ruins.
Agradecer pelos dias bons.

É abraçar quando as coisas se complicarem.
É estar disposto a ceder em discussões.
É não esperar ser o casal do comercial de Margarina.
É acreditar que vai dar certo.
È apoiar e dar apoio.
E acima de tudo
É estar disposto a viver tudo isso

Porque o amor é uma batalha que se ganha mutuamente
Na admiração no dia-a-dia.

O amor complexo é coisa da nossa cabeça
Invenção de quem gosta de sofrer.

Na vida real
Ele é simples
Traz paz
E nunca será perfeito
Nem feito de perfeição

Mas sim de escolha...

terça-feira, 6 de março de 2018

Tudo Que Tenha

Ei menina
Eu só quero que...

Você sorria
Até sua barriga doer.
Que você acredite
Até tudo se realizar.
Que tente
Até o medo se tornar irrelevante.
Que recomece
Até o começo não te lembrar mais o fim.
Que sonhe
Até se tornar realidade.
Que faça
Até que o movimento seja sua parte mais forte.
Que seja positiva
Até que uma perspectiva mude todo o seu dia.
Que se divirta
Até que não se lembre dos problemas.
Que lute
Até que as cicatrizes sejam motivo de orgulho.
Que viva
Até que perceba que essa chance é única.

E principalmente que ame
Até que o amar se torna tudo que você é

E que o amor

Seja tudo que tenha...

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Boa Falta

E durante algum tempo a frase dita pro Camille Claudel:
“II y a toujours quelque choe d’abient qui me tourmente”
(Existe sempre alguma coisa ausente que me atormenta)
Sempre soou pra mim como eterna busca dolorosa.

Sempre me senti atrás de uma coisa:
Uma razão
Um propósito
Ou o sentido sobre tudo
Ao menos para validar a existência 
E mostrar que a vida estava sendo vivida na direção exata.

Em alguns momentos
Provavelmente pela busca desenfreada daquilo
Eu até encontrava esse pedaço
Esse preenchimento.
Essa parte que faltava...

E já a encontrei em vários formatos...

Já a achei em coisas
Ideologias
Momentos.

Já a achei em novidades.
Hobbys
Novos vícios.
Novas diretrizes.

E principalmente já a encontrei em pessoas:

A tal alma gêmea
O par perfeito
O amor de outras vidas
O pra sempre!
Entre tantos outros amores idealizados.

E confesso que por um momento me sentia pleno.
Preenchido
Tão preenchido e tão pleno
Mas ao mesmo tempo tão frágil
E vunerável
Que sentia falta da busca
Sentia falta de sentir a falta
E assim
A falta me passava a me faltar.

Até que eu entendi
Que o sentido da vida que eu tanto busquei
Talvez seja esse mesmo
O de não ter sentido
Não ter nada definido
Cada um viver o seu naquele momento
Ter o sentido por aquele período
E continuar a busca por essa falta eternamente
Como Sísifo no mito de Camus.

É preciso que alguém pichasse pelos muros da cidade
"A falta é importante porra!!"

Porque é o que nos falta que motiva.
O que nos falta que faz a gente acordar toda manhã e ser mais.
É o que nos falta que nos faz ser fortes.
É a falta que é nosso combustível para querer ser melhor
Ir além
Transpor nossa limite.

É essa sede que nos alimenta.
Nos mantém de pé
Superar o insuperável
Tentar o impossível
O improvável.
Dar a volta por cima.

É a falta que faz a gente querer dá o troco na vida
Se vingar de cada não.
Refazer todo fim.

A falta é nossa parte que falta
Que é moldada
Preenchida.

Que faz a gente se tornar quem precisa.
Descobrir novas coisas
Novos lugares
Novas pessoas.

Que nos faz descobrir o novo
A deixar do lado o outra vez
E aprender a recomeçar.

É na falta que a gente se supera
É na falta que a gente se encontra.

Quem tem tudo
Tem tanto que não tem mais nada.

Quem tem tudo não busca
Não sonha.
Não se realiza.

É pelo sonho que a gente luta
É na falta da ausência que a gente se fortalece

E a falta que nos mantém vivo
Nos faz quem somos...

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Recomece

Recomece...

E mesmo quando faltar forças
Recomece na fraqueza.

E mesmo quando não houver mais caminho
Recomece sem saber pra onde ir.

E mesmo quando faltar vontade
Recomece sem querer recomeçar.

E mesmo quando estiver escuro
Recomece ascendendo as velas.

E mesmo quando perder tudo
Recomece do nada.

E mesmo quando o motor parar
Recomece remando.

E mesmo quando se decepcionar
Recomece acreditando de novo.

E mesmo quando receber um não
Recomece acreditando no talvez.

E mesmo quando a música parar
Recomece assobiando.

E mesmo quando tudo ficar nublado
Recomece com um guarda-chuva.

E mesmo quando não der pra correr
Recomece engatinhando.

E mesmo quando não tiver palavras
Recomece em silêncio.

E mesmo quando todos se forem
Recomece sozinho.

E mesmo quando não tiver motivos.
Recomece sendo sua própria motivação

E mesmo quando não souber o que fazer
Recomece nem que seja ensando em recomeçar...

Porque quando achar que não der mais pra recomeçar
Ache o jeito
E recomece ainda que devagar...

O importante não é a velocidade das coisas
Mas sim

A sensação que dá o movimento do recomeço...

Expectativa

Nada na espera de algum acontecimento
É tão marcante
Gera tanta dor e apreensão
Quanto a expectativa.

E por mais que a gente evite
Não pense
Tente gerar
Ou até mesmo criar tantas outras coisas
(Cachorro, gato, galinha)
Estamos sempre preocupados
Ou ocupados com ela.

Seja para não sentir quando ela vier
Seja para realizar quando ela chegar.

O ser humano é um ser otimista por natureza
Está na genética
Ele tem fé
Ele acredita
Ele tem uma força vital que faz evoluir
Que faz andar pra sempre
Se levantar
E acreditar ainda que ele não assuma.
Que ele diga o sim
Ainda que se blasfeme de não.

Talvez por isso
Ainda que um lado nosso faça aquela cara de descaso
Aquele sorriso de canto de boca
Mesmo sem esperar
(ou sem assumir)
A gente sempre está esperando alguma coisa:

Uma mensagem
Uma volta
Um convite
Uma declaração
Uma surpresa do destino
Do acaso
Ou qualquer uma dessas coisas
Simples
Mas ao mesmo tempo tão relevantes
Que no meio de tanta coisa mais ou menos
Faça a vida valer a pena.

E aí que entra o medo da expectativa.
Temos medo da frustração
De se magoar
De se enganar.

O medo do não
E da sensação de finito.

Temos medo do negativa.

Do não ser como esperamos
Do não ser como queremos
Do não ser...

Temos medo do tempo
De durar pouco
De acabar logo
De se magoar
De não ser recíproco
Medo de um dia ter um fim...

Temos medo de tudo
De não tentar
De arriscar
De recomeçar
De dar mais uma chance.

Medo de ser...

Mas ser é tudo que temos e somos!!

E aí
Quando percebemos e aceitamos
Que a vida tem seus próprios planos.
Que tudo realmente acontece como
E quando tem que acontecer.
Que tudo é interligado
Parte de um molde.
De um processo que nos forma quem somos

Nos transforma em quem temos que ser.

É preciso entender e aceitar que:

Nem tudo precisa ser eterno.
Relacionamentos não precisam durar pra sempre.

O segredo é entender que cada pessoa aparece em um momento
Vive um ciclo
É testemunha da vida em algum acontecimento
Cumpre seu ciclo
Nos deixa uma lição.
Fica
E se vai. 
Deixando e levando o seu melhor.

Nossas vidas são feitas de trocas.
Ninguém vai ficar pra sempre.

Teremos companheiros
Mas morreremos sozinhos.

Teremos conversas
Mas encararemos silêncios.

Teremos ajuda
Mas a paz está em nós.

A expectativa existe no medo da falha
No peso do infinito
Nas possibilidades e probabilidades do não ser.

Mas não precisa existir medo ou receio
As coisas e pessoas duram o tempo que tem que durar.
Chegam e se vão quando tem que ser.

Expectativa é só coisa da cabeça
Ela não define nada.
Não tem peso sobre o futuro.

O que está em jogo é o não fazer

Erro mesmo é deixar de acreditar


Expectativa mesmo
É a de não viver...